2009 (EUA)

Participando pela segunda vez da competição americana, SAE AeroDesign East, realizada em Marietta, Georgia, a equipe Keep Flying foi bastante motivada com os resultados obtidos na competição brasileira. A competição conta com a participação de cerca de 40 equipes de diversos lugares do mundo como EUA, Canadá, Brasil, México, Índia, Polônia e Alemanha.

A regra de, similar à regra da competição brasileira, restingia, contudo, a aeronaves com dimensões menores. A principal novidade foi a proibição de compósitos de fibra de carbono e fibra de vidro, o que tornou o projeto estrutural bastante interessante e mudou a tendência de utilização materiais compostos.

A utilização do efeito solo foi mantida, o algoritmo genético modernizado e reformulado com novos modelos de cálculo e a principal novidade do projeto foi a utilização do Blended Wing Body (BWB), no qual a carga paga é inserida dentro da asa de tal forma que a aeronave não necessita de fuselagem, melhorando o desempenho aerodinâmico.

A restrição de compósitos levou à maior utilização de madeira balsa, o que tornou a construção mais rápida e simples. Também foram utilizados novos materiais como o Divinycell e fibra de Kevlar.

A competição foi marcada pelo excelente desempenho das equipes brasileiras, que se mantiveram na briga pelas primeiras colocações. A Keep Flying atingiu o segundo lugar de relatório e apresentação oral.

A competição de vôo teve disputa acirrada entre as duas equipes brasileiras (Keep Flying e Uai-Sô Fly). O projeto "Pelicano" da Keep Flying levantou 12,820 kg marcando novo recorde de carga da equipe com apenas 2,7 kg de peso estrutural. Esse resultado rendeu à Keep Flying o primeiro lugar na classe regular, o troféu itinerante de maior carga levantada e também o prêmio NASA Systems Engineering Award de melhor gestão de projeto, pela primeira vez concedido a uma equipe brasileira.